Melhor voleibol do mundo vive seu apogeu com o início das Superligas Masculina e Feminina

Por
Superliga Brasileira de Voleibol

APOSTAR AHORA

 

Começa no próximo final de semana o principal torneio do esporte mais vitorioso do país nos últimos anos. É a Superliga Brasileira de Voleibol, que em suas edições masculina e feminina estará repleta de atletas consagrados internacionalmente, selecionáveis que representaram o Brasil em competições recentes, e até mesmo alguns campeões olímpicos.

No regulamento, uma mudança importante. Diferentemente do que aconteceu nas últimas edições, desta vez a final será disputada em dois jogos. Em caso de empate no número de vitórias, o título será decidido em um golden set de 25 pontos. As regras da primeira fase seguem as mesmas. Os doze times se enfrentam em jogos de turno e returno, e os donos das oito melhores campanhas avançam para as quartas-de-final, que serão decididas em melhor de três. Nas semifinais, sete jogos definirão quem brigará pelo título.

Fique por dentro da movimentação dos times nos bastidores, as caras novas dos elencos, e saiba quem chegará em condições de almejar o lugar mais alto do pódio. As melhores cotas para faturar na Superliga você encontra no Bumbet.

Sada Cruzeiro, Taubaté Funvic e o estreante Sesc-RJ despontam como principais forças no masculino

Vencedor de quatro das últimas cinco edições da Superliga, o Sada Cruzeiro foi bastante  tímido nas contratações para esta temporada. Todo o esforço foi no sentido de manter o forte elenco que vem dominando o vôlei brasileiro na última década. No entanto, o time sofreu uma importante baixa com a saída do levantador William, grande destaque do ano passado. Para o seu lugar foi contratado o argentino Nicolás Uriarte, que precisará de algum tempo para se adaptar. Evandro, Serginho, Leal e Simón permanecem na equipe mineira, que é a favorita para a conquista do hexacampeonato.

Sua partida de estreia será contra o Corinthians-Guarulhos, time recém promovido da série B, que conta com alguns jogadores de renome, como o interminável líbero Serginho, o campeão mundial Sidão e o meio-de-rede Riad. Os três foram contratados junto ao Sesi, onde não conseguiram render o esperado pelo excesso de contusões.

O outro finalista de 2016/17, Taubaté Funvic, investiu pesado para tentar uma melhor sorte esse ano. Reforçam o elenco o ponteiro Dante, campeão olímpico em 2004, o líbero Thales, que tem sido constantemente convocado para a seleção brasileira, além de dois estrangeiros, o central argentino Sebastian Solé e o ponta sérvio Marko Ivovic. Em compensação, o time perdeu o líbero Mário Jr., o ponta Lucas Lóh e o meio de rede Éder, que podem fazer muita falta.

O Taubaté fará a partida de abertura da Superliga contra um estreante que tem dado o que falar. Depois do encerramento das atividades do RJX, em 2014, a Cidade Maravilhosa voltará a ter um representante na elite do vôlei com o Sesc-RJ, que chega repleto de craques, começando pelo banco de reservas.

Giovane Gávio dirige o time, que já contratou o campeão olímpico de 2016 Maurício Souza, o líbero Thiago Brendle, ex-Campinas, o oposto Renan, que fez ótima temporada pelo JF Vôlei, e dois jogadores que estavam no Molfetta, da Itália, Thiguinho e João Rafael. Com um elenco deste nivel, o Sesc-RJ certamente não entrará na disputa para ser coadjuvante.

Entre as mulheres, Sesc-RJ é favoritíssimo para vencer novamente

Comandado por Bernardinho, o Sesc-RJ é o time a ser batido na competição feminina. Nos últimos doze anos, a equipe carioca foi campeã nada menos do que dez vezes, e chegará ainda mais forte para a temporada 2017-18. As caras novas são Gabiru, Carol Leite, Vivian, Linda Jéssica, Natiele e Kasiely, que se juntarão à experiente líbero Fabi, à ponteira Drussyla e outros grandes nomes como Mayhara, Gabi e Mikaella. A única baixa em relação ao time do ano passado foi a da central Carol, que não quis permancer.

Seu principal concorrente deverá ser o Dentil/Praia Clube, que também não marcou bobeira durante a pré-temporada e anunciou uma contratação de peso, Fenanda Garay, campeã olímpica que até o ano passado estava jogando na China. Além dela, chegam também a americana Nicole Fawcett, e as atuais campeãs do Grand Prix com a seleção brasileira,  Amanda e Suellen.

Única equipe que conseguiu quebrar a hegemonia do Sesc-RJ nos últimos doze anos, o vôlei Nestlé segue com sua estratégia de mesclar nomes consagrados com atletas reveladas pelo próprio clube. Para esta temporada, o clube conseguiu manter as jovens Zeni e Bruna Neri, além de  renovar com a meio de rede Bia, a ponteira Tandara, a central Nati Martins, a oposta Paula Borgo, a levantadora Carol Albuquerque e a líbero Tássia.  As caras novas são a ponteira Mari Paraíba e a levantadora Fabíola. O time tem tudo para dar muito trabalho mais uma vez.

Correm por fora o Hinode Barueri, comandado pelo multi-campeão José roberto Guimarães, que venceu de forma invicta a Superliga B do ano passado, e é finalista do campeonato paulista, e o Camponesa/Minas, que conta coma experiente Carol Gattaz, além de várias jogadoras da seleção, como Rosamaria, Mara, Leia e Macris.

Jogos da 1ª rodada:

Masculino:

14/10 – 14:05 – Sesc-RJ x EMS Taubaté Funvic

14/10 – 18:00 – Lebes Canoas x Montes Claros Vôlei

14/10 – 18:00 – JF Vôlei x Minas Tênis Clube

14/10 – 18:30 – Copel Telecom Maringá Vôlei x Sesi-SP

14/10 – 20:00 – Ponta Grossa Caramuru x Vôlei Renata

14/10 – 20:00 – Corinthians-Guarulhos x Sada Cruzeiro Vôlei

Feminino:

15/10 – 13:00 – Fluminense F.C. x BRB/Brasília Vôlei

17/10 – 19:30 – E.C. Pinheiros x Vôlei Bauru

17/10 – 19:30 – Hinode Barueri x Vôlei Nestlé

17/10 – 20:00 – Camponesa/Minas x São Cristovão Saúde/São Caetano

17/10 – 20:15 – Renata Valinhos/Country x Dentil/ Praia Clube

17/10 – 21:30 – Sesi-SP x Sesc-RJ